FAMÍLIA BARCELOS
Descrição do Brasão

Dentre as informações encontradas sobre o brasão da família Barcelos, o que podemos destacar é que ele tem o fundo azul. Em baixo, em prata, existem ondas que representam a água e por cima o que parece ser uma comunidade, com torres, igrejas, árvores.

No timbre podemos identificar cinco torres que articuladas foram uma coroa.

Estas são informações mais concretas sobre a constituição do brasão da família Barcelos. Outras versões podem ser procedentes de famílias compostas por dois sobrenomes, ou possui outras origens.


História

Barcelos é uma cidade portuguesa no Distrito de Braga, região do Norte e sub-região do Cávado, com cerca de 20 625 habitantes.

É sede de um município com 378,9 km² de área e 120 391 habitantes (2011)[1], subdividido em 61 freguesias. O município é limitado a norte pelos municípios de Viana do Castelo e Ponte de Lima, a leste por Vila Verde e por Braga, a sueste por Vila Nova de Famalicão, a sudoeste pela Póvoa de Varzim e a oeste por Esposende.

O ponto mais elevado do concelho situa-se no alto de São Gonçalo, a 488 metros de altitude, na freguesia de Fragoso

Barcelos desde cedo é uma cidade habitada por povos como vestígios em várias zonas de Barcelos indicam. Aproximadamente no ano de 1177, Barcelos pelas mãos de D. Afonso Henriques recebeu a carta de foral e em 1227 a cidade começava a chamar mais população. Já em 1928, Barcelos foi elevada a categoria de cidade.


A Origem

O sobrenome Barcelos tem sua origem em Portugual. Ele é considerado de origem toponímica, ou seja, com o nome dado através de alguma região.

Sua origem geográfica vem do pré-romano Barcela, que significa pequeno terreno comunal próximo ao rio que o inunda com frequência.

O que provavelmente acontece nesses casos é que indivíduo que deu origem a essa linhagem residia próximo ou em uma Barcela. A partir daí os seus descendentes e outros residentes do lugar passaram a adotar o sobrenome Barcelos.

Por ser de uma origem tão comum em tantos lugares, este sobrenome pode ter surgido em vários lugares diferentes. Deste modo, é possível afirmar que a família Barcelos não possui o “mesmo sangue”.


Títulos, Morgados e Senhorios
  • 1° Conde de Barcelos (em 1298): Conde João Afonso Teles de Meneses (Senhor de Albuquerque)
  • 3° Conde de Barcelos: D. Pedro (filho bastardo de D. Dinis)
  • 7° Conde de Barcelos (em 1385): D. Nuno Álvares Pereira (Condestável do Reino)
  • 8° Conde de Barcelos (em 1401): D. Afonso (recebe o condado como dote de casamento com D. Beatriz, filha de D. Nuno Álvares Pereira)
  • 9° Conde de Barcelos: D. Fernando I
  • 10° Conde de Barcelos (em 1478): D. Fernando II
  • 12° Conde de Barcelos (em 1532/1563): D. Teodósio

  • Variantes do sobrenome Barcelos

    Dentre as variantes do sobrenome Barcelos, a mais comum de ser encontrada é Barcellos. Fora esta, é um pouco difícil encontrar outros, por se tratar de um nome relativamente específico advindo de uma palavra que não tem tanta popularidade e acaba por não ter traduções.


    Documento sem título