FAMÍLIA BESSA
Descrição do Brasão

Armadura: faixado de ouro e de vermelho de seis peças; borbadura do seundo carregada de dez crescentes de prata.

Timbre: um lobo sainte, carregado de uma crescente de prata na espádua.


A Origem

O nome Bessa é de origem Português e significa a família descendente de Dom Lopo Dias de Haro, da Espanha, que tomou dos mouros a cidade espanhola de Baeza. A partir daí Dom Lopo mudou seu nome para de Baeza e um descendente seu, chamado Juan Alfonso de Baeza, instalou-se em Portugal no século XIV, dando origem à nossa família. Em Portugal o nome foi sofrendo transformações, Baeza, Baeça, Beça, Bessa, e a família espalhou-se pelo mundo, principalmente o seu ramo judáico durante a Inquisição e expulsão dos judeus da península ibérica. Embora seja curto, escrever, lembrar e pronunciar o nome Bessa é considerado difícil, pois não é um nome muito comum.


História

Os estudiosos da genealogia afirmam que a primeira pessoa a usar o apelido Bessa foi Lopo Dias de Haro, por alcunha o Cabeça Brava, fidalgo, 16° Senhor de Biscaia, após haver conquistado a cidade de Baeza (30.11.1227) aos mouros. Casou-se Lopo Dias de Haro, primeiro com Aldonza Rodríguez de Castro, e depois com Urraca Afonso de Leão, filha do Rei D. Afonso IX, de Leão e Castela e de Inés Miguez de Mendoza. Na época dos romanos, Baeça, foi chamada de Biatia ou Vivatia, enquanto os mulçumanos no século VIII a denominaram de Bavyasa. Existe uma lenda espanhola que diz descenderem, os Bessas, do Rei Muley Beça, mouro que se fez cristão.

Os descendentes de Lopo Dias de Haro se passaram a Portugal com o sobrenome de Baeça, Beça ou Bessa. São notáveis Pedro de Bessa, que recebeu, em 1381, o brasão de armas (ao lado) do rei de Portugal, Dom Fernando e João Afonso de Bessa, que se fez Senhor (por doação de 1409) de Alter do Chão, (distrito de Portalegre, centro de Portugal) e de Vimieiro e Vila Formosa, dando nome ao pequeno rio Bessa, que desemboca no rio Tâmega (afluente do Rio Douro) que corre próximo às cidades de Braga e Guimarães.

Um provável descendente desses primeiros Bessas, Manuel Ribeiro Bessa, nascido no final da década de 1690, na cidade do Porto, Portugal, como militar (sargento-mor), veio servir no Brasil no início da década de 1720, sendo lotado em Olinda, capital da então Capitania de Pernambuco. Desposou Ana Holanda Cavalcante, de tradicional e abastada família local e deslocou-se para o Ceará, aí se estabelecendo no vale do Rio Jaguaribe em 1728, onde adquiriu por compra uma propriedade rural no território do atual município de Tabuleiro do Norte. Manuel Ribeiro Bessa faleceu em 26/11/1769 e seria o ancestral de praticamente todos os Bessas que vivem espalhados pelo Brasil, com uma concentração maior no Ceará e no Rio Grande do Norte.

O brasão de armas, na tradição europeia medieval, é um desenho especificamente criado para identificar indivíduos, famílias, clãs, corporações, cidades, regiões e nações, obedecendo às leis da heráldica.


Documento sem título