FAMÍLIA CARRASCO
Descrição do Brasão

O Brasão da Família, aquisições de outros clãs e sua modificação ao longo dos séculos.


Segunda fontes históricas esse seria o primeiro brasão representativo do Clã Carrasco.


Séc. XIV (aproximadamente.) – As cores nobres (azul, branco e verde) sempre foram mantidas. A Estrela representa o que há de mais alto no céu, uma referência a origem nobre dos antepassados. A Lua (acha) tem significado confuso, varias famílias europeias sendo que cada uma coloca um significado pessoal, essa parte do brasão ainda é uma lacuna para muitos descendentes. A Árvore (um carvalho) simbolizando a linhagem e a fecundidade das famílias através das árvores mais exautada no Velho-Mundo, muitos aponta isso como um vestígio de ligações com antigas tribos celtas e outros povos pagãos das regiões onde hoje ficam Holanda, Portugal, Espanha, Itália e País de Gales.


No séc. XV, o brasão da família foi se tornando mais visto a medida que seus familiares se espalhavam pela Europa.


Séc. XV – Houve uma pequena modificação nas disposições dos símbolos pelo escudo. A adição de um timbre (segundo carvalho) é mais uma forma de comprovar o crescimento da família dentro da nobreza. Durante esse período econtram-se Casa de renome da família principalmente em Portugal (Alentejo (3), Beira (3), Lisboa (2), Algarve (2)) e Espanha (Andaluzia (2), e Estremadura (3)).


Uma família se divide.


Séc. XVII – Com a emancipação dos impérios e reinados da Europa, a era das grandes navegações agunsava os desejos de ambição de muitos nobres. Conta-se que após uma reunião e uma serie de acordos da alta sociedade, a Família Carrasco recebeu pedição para reivindicar terras no Novo-Mundo pela coroa holandesa, o que criou conflito entre so membros que estavam sendo bem sucedidos em Portugal. A Casa portuguesa acusou a holandesa de tentar usurpar a influencia que haviam conquistado, e em contra partida, os holandeses acusavam seus irmão ibéricos de não compartilharem sua ascensão com os demais. Depois de não conseguirem resolver seus conflitos, a Casa holandesa cortou vínculos com os lusitanos e enviaram os membros mais importantes para fixar colônias nas Américas e a Casa passou a ser alcunhada de Radix (raiz). Já a Casa portuguesa incorporou a figura de um javali em seu escudo e passou a ser apelidade de Praedam (presas).


Esse brasão durou até meados do séc. XX. Ainda hoje é visto em casas tombadas no norte e lesta europeu.


Séc. XVIII – Depois de disputas politicas e acordos, as duas casas se uniram novamente. A Casa holandesa havia invadido a costa brasileira e se estabelecido na região onde hoje fica o estado de Pernabuco. Com a união das duas Casas principais, a família Carrasco estabeleceu-se no nordeste do Brasil e foi uma das famílias mais influentes de seu tempo, até o final do séc. XIX constavam em registros da alta sociedade: 2 duques, 4 viscosdes, 7 barões e 3 condes; além de outras personalidades em cargos de destaque nas ordens eclisiáticas e militares.


Documento sem título