PERSONALIDADES MARCANTES
CHARLES CLAUDI BARROUIN - Dr.
( sem dados   sem dados)

Houve alguns médicos que clinicavam em Itajubá no século XIX, e aqui estiveram por alguns anos, e que estão inteiramente ignorados pelas últimas gerações. O Dr. Barrouin foi um deles.

Dr. Barrouin além de médico, era também dentista, o mais antigo odontólogo de que se tem notícia na história de Itajubá. Aqui chegou em 1872. Para não ser suspeito de charlatanismo, apresentou o seu diploma à Câmara Municipal em 13 de maio daquele ano, cujos dizeres foram transcritos em livro próprio da Municipalidade: "UNIVERSITÉ DE FRANCE, Diplôme de Docteur en Medicin. Au nom de Roi, Nous, Narcisse Achille Salvandy, de Iª Academie Française, Ministre Secrétaire d'Etat au Department de Iª Instruction Publique, Grand-Maitre de l'Université,..." etc.

"O Itajubá", na edição de 16-02-1872, confirmava que o Dr. Barrouin era formado pela Faculdade Médica de Paris, agora residente em Itajubá, que além de médico, era também dentista, já com gabinete montado nesta cidade.

Em 1878 ele aqui ainda estava, ainda figurando em notícia de jornal. Já no início deste século XX, ignoramos se algum seu parente, ou se era o mesmo clínico francês que trocara, então o nome "Claudi" por "Victoe' , e se apresentou como Carlos Victor Barrouin, e que aqui realizou, em 13-07-1902, um aplaudido recital de piano no Clube Itajubense, e três dias depois, um idêntico espetáculo de virtuosismo no teclado no Teatro Santa Cecília. Outro médico esquecido foi o Dr. Giovanni Battista Capelli Camarano, italiano, vindo para o Brasil em 1867, e para Itajubá em 1880. Era formado pela Universidade de Nápoles. Era positivista e ateu. Escrevia artigos com o título "Religião Natural", para a folha itajubense "Gazeta Comercial", e também colaborou em prosa e verso para "O Itajubá". Deixando Itajubá mudou-se para São Caetano da Vargem Grande (Brasópolis).

Documento sem título